Homem em Cadeira de Rodas sustenta família sendo Pedreiro no interior de São Paulo

A vida não é fácil para ninguém, principalmente para as pessoas que possuem algum obstáculo físico. Mas mesmo as com mais dificuldade conseguem nos impressionar todos os dias.

Hoje vamos contar a história do pedreiro Ricardo, vítima de um câncer aos 9 anos de idade que o fez perder a capacidade de andar.

O principal Obstáculo

Você pode pensar numa lista de dificuldades que ele teria para trabalhar com obra, a falta de acessibilidade, pegar peso e até fazer algumas coisas sem as pernas. Tudo isso é moleza pro Ricardo, ele enfrenta um obstáculo muito maior no dia a dia: O Preconceito.

Em entrevista ao G1, Ricardo afirma que a maior dificuldade para conseguir trabalho é na hora da contratação. Algumas pessoas ignoram a reputação de bom pedreiro e usam a cadeira de rodas como algo que o impeça de fazer um bom trabalho.

Simbolo de superação

Ricardo tem orgulho de trabalhar com obra e incentiva as pessoas.

“Por ter uma deficiência a gente nunca deve abaixar a cabeça e desanimar. A gente tem que sempre erguer a cabeça e seguir em frente. Por mais que a gente esteja em uma cadeira de rodas ou com qualquer tipo de deficiência, a gente tem que mostrar para as pessoas que somos capazes de lutar”, diz.

A ajuda do irmão

Ricardo diz ter aprendido um pouco de obra quando ainda era criança quando observava o pai que morreu quando ele ainda tinha cancer, mas a pessoa que mais o incentivou foi o irmão. Cristiano Ramassoti, o irmão, confirma que Ricardo é um excelente pedreiro.

“Não tem embaraço no trabalho. Ele sobe no telhado se precisar subir, na escada, às vezes até mais rápido que a gente”, conta.

Mais de 100 casas construídas

Ricardo é batalhador e sustenta a família fazendo o que gosta.

“As pessoas desacreditam: mas você consegue? Eu pego e falo: com a graça de Deus eu consigo sim, isso ai não tem dúvidas.”.

Inspirado, o pedreiro afirma estar empolgado com a profissão e com a possibilidade de sempre aprender uma coisa nova e de se sentir mais próximo do pai. “Creio que onde ele estiver ele está orgulhoso de mim nesse momento.”

 

Fonte G1, Fatos Desconhecidos.